Órgão de direitos humanos da ONU será presidido por cubano

GENEBRA (Reuters) - Um importante órgão de direitos humanos da Organização das Nações Unidas indicou para sua presidência um professor de direito cubano que é diplomata do governo de Havana e porta-voz de seu ministério das Relações Exteriores. Miguel Alfonso Martinez, de 73 anos, que atualmente atua como presidente da Sociedade Cubana de Direito Internacional, foi eleito para a presidência pelo comitê de 18 membros do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Reuters |

Para ser um de seus dois vice-presidentes foi escolhido o russo especialista em direito Vladimir Kartashkin, que serviu no ministério das Relações Exteriores da extinta União Soviética na década de 1970 e trabalhou por muitos anos no secretariado da ONU em Nova York.

O outro posto de vice-presidente será ocupado pela advogada e defensora dos direitos da mulher Mona Zulfikar.

Os membros do comitê -- que disponibiliza informações para o conselho de 47 nações -- são nomeados por seus governos, mas espera-se que trabalhem independentemente e que tomem decisões sem referência às autoridades de seus países.

O conselho foi formado há dois anos para substituir a desacreditada comissão de Direitos Humanos da ONU.

Críticos dizem que o conselho se tornou um terreno de disputa entre blocos de países, no qual as nações islâmicas -- normalmente apoiadas por Rússia, China e Cuba -- discutem com países ocidentais por visões distintas dos direitos humanos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG