Órgão da ONU propõe plano para combater escassez de alimentos

Por Megan Davies NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Sementes mais fartas e melhores, fertilizantes, irrigações e estruturas de transporte são necessários para combater a escassez de alimentos no mundo, concluiu um fórum econômico da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira.

Reuters |

Depois de encontros nesta semana em Nova York, O Conselho Econômico e Social da ONU, o Ecosoc, traçou um plano para ajudar milhões de pessoas que estão lutando para conseguir o que comer em meio as altas nos preços de alimentos.

A escalada nos preços e a escassez de alimentos afetam a saúde e a sobrevivência de milhões de pessoas no mundo todo, disse o presidente do Ecosoc, Leo Merores, em um encontro especial com o fórum de 52 membros, de acordo com uma transcrição postada no website da entidade.

Nos últimos dois anos, os preços mundiais de commodities básicas agrícolas subiram agudamente, afirmou um relatório no website do conselho. Preços de arroz mais que dobraram desde o fim de janeiro deste ano.

No curto prazo, o conselho da ONU pretende ajudar produtores a conseguir atingir as necessidades de produção para as próximas temporadas, disse Merores em um comunicado.

Merores ainda disse que deveria haver uma urgência renovada na conclusão das negociações da rodada de Doha, que deveria dizer respeito a subsídios e tarifas agrícolas dos países desenvolvidos, tendo em vista a ajuda ao desenvolvimento agrícola nos países em desenvolvimento.

A Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio para um acordo comercial global foi lançada em 2001.

Os encontros desta semana foram feitos com o propósito de servir como ponte entre um encontro recentemente concluído da Comissão de desenvolvimento sustentável e uma conferência de alimentação que acontecerá daqui duas semanas em Roma, disse o grupo econômico da ONU.

No encontro em Roma, sediado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, líderes governamentais e ministros irão procurar maneiras de prevenir que ainda mais pessoas sofram de fome.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG