Órgão americano critica alarde em torno de gripe suína

Washington, 30 abr (EFE).- O diretor do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) dos Estados Unidos, Richard Besser, afirmou hoje que o Governo está adotando as ações públicas necessárias para conter a gripe suína, e destacou que o vírus não está nos aviões, nem no metrô.

EFE |

Mais cedo, as autoridades americanas haviam confirmado que o número de casos da doença no país aumentou para 109, em 11 estados.

Para evitar novas ocorrências, o responsável do CDC pediu que as pessoas que se sentirem mal atuem com responsabilidade e não viajem, e lamentou a morte de um bebê mexicano de 23 meses no Texas.

"Não há nenhuma ação que possa acabar com o surto, mas, com estas medidas, é possível reduzir o impacto nas comunidades", disse.

O Governo americano informou também que, após a variante do vírus ter sido identificada, os cientistas já começaram a elaborar uma vacina contra a doença.

Besser lembrou que os Estados Unidos estão ajudando o México, origem do surto, com a instalação de um laboratório no país vizinho com a tecnologia necessária para diagnosticar a existência do vírus A/H1N1.

"O lugar onde começou é importante, porque isso pode nos dar esclarecimento sobre futuras medidas de prevenção", ressaltou o responsável do CDC em entrevista à rede de televisão "CNN", na qual destacou que é necessário determinar por que o México tem "mais casos graves" que outras nações.

Também hoje, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, explicou em uma audiência no Senado que foi criado um grupo de vigilância do vírus e que estão sendo estudadas as respostas de outros países afetados para avaliar que tipo de ajuda oferecer.

Além disso, "estamos revisando constantemente e redefinindo nossos alertas de viagem para os americanos que viajam ou vivem no exterior", informou. EFE elv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG