Organização pede que afetados por gripe não sejam estigmatizados

Washington, 5 mai (EFE).- A Organização Pan-americana da Saúde (Opas) pediu hoje à comunidade internacional que não estigmatize os doentes de gripe suína, e que seja justa com os países que registram casos do vírus AH1N1 e lutam para combatê-lo.

EFE |

Em entrevista, Jon K. Andrus, da Opas, braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) na América Latina e no Caribe, fez o apelo depois que o presidente mexicano, Felipe Calderón, lamentou no domingo e na segunda as medidas discriminatórias que alguns países adotaram contra o México.

Andrus pediu para "não estigmatizar as pessoas doentes da gripe suína de um país".

No domingo, Calderón exigiu respeito aos países que adotaram medidas repressivas ou discriminatórias contra o México devido à epidemia de gripe suína e contra os habitantes do país, e pediu colaboração, alegando que a luta é em benefício da humanidade.

Um dia depois, reiterou sua rejeição às medidas "humilhantes ou discriminatórias" de vários países contra os mexicanos.

Devido ao surto, Peru, Argentina, Cuba e Equador suspenderam unilateralmente voos para o México. Além disso, a Colômbia impediu as equipes mexicanas de futebol de disputar partidas da Copa Libertadores em Bogotá por temor do vírus AH1N1.

Por sua vez, as autoridades na China isolaram vários turistas mexicanos.

Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde, até o momento a epidemia no México deixou 26 mortos e outros 840 contagiados.

Além disso, os Estados Unidos acabam de confirmar a segunda morte no país pela gripe, que já infectou 402 pessoas.

Enquanto isso, a OMS elevou hoje a 30 o número de mortos pela gripe e a 1.490 os casos confirmados da epidemia, que já afeta 21 países. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG