GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira que o número de casos oficialmente confirmados de casos de gripe suína chegou a 331 em 11 países, incluindo 10 mortes.

Os números da doença que a OMS passou a chamar de influenza A (H1N1) incluem 109 casos confirmados nos Estados Unidos, com uma morte, e 156 casos e 9 mortes confirmados no México.

Outros países com casos da gripe confirmados por testes laboratoriais são Áustria (1), Canadá (34), Alemanha (3), Israel (2), Holanda (1), Nova Zelândia (3), Espanha (13), Suíça (1) e Grã-Bretanha (8).

A OMS anunciou também nesta sexta-feira não ter dúvidas de que é possível conseguir uma vacina eficaz contra a influenza A em um prazo relativamente curto. "Tal vacina pode estar disponível em um prazo relativamente curto de entre quatro e seis meses", afirmou Marie-Paul Kieny, diretora do programa de pesquisas de vacinas da OMS.

À espera de uma nova vacina eficaz, apenas dois medicamentos estão disponíveis para combater a nova doença: o Tamiflu, do laboratório suíço Roche, e o Relenza, do britânico GlaxoSmithKline (GSK).

Foco da doença

Embora a OMS confirme somente 9 mortes no México, outras estimativas da infecção pelo vírus são mais altas. Autoridades mexicanas confirmaram nesta sexta-feira 15 mortes comprovadamente causadas pela gripe A no país e 343 casos confirmados da doença.

As vítimas fatais, 11 mulheres e quatro homens, são em sua maioria da capital mexicana (11 pacientes). A influenza A (H1N1) também deixou mortos nos estados do México (dois), de Oaxaca (um) e de Tlaxcala (um).

Nesta sexta-feira, o México deu início a uma paralisação de cinco dias de partes de sua economia, em uma tentativa de conter o avanço do surto da gripe . Serviços considerados não-essenciais do governo foram suspensos, enquanto setores do comércio, como cinemas e restaurantes, anunciaram que permanecerão fechados.

Por causa do surto da doença, a Continental Airlines informou nesta sexta-feira que vai realizar reduções temporárias em sua capacidade de passageiros em voos para o México . Em comunicado, a companhia aérea divulgou que vai reduzir efetivamente na segunda-feira a capacidade de assentos para o México em cerca de 50%, frente à relação original de maio.

Casos nos EUA e Canadá

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, confirmaram nesta sexta-feira 141 casos de gripe A em 19 estados . O número ficou acima dos 109 registrados, confirmado pela OMS.

No Canadá, o governo também aumentou o número de casos da doença. As autoridades sanitárias da província de New Brunswick, no leste do país, indicaram nesta sexta-feira a detecção do primeiro caso de influenza A (H1N1) nessa região. Com isso, sobe para 35 o número de registros confirmados da doença no Canadá .

Ásia e Europa

As autoridades de saúde de Hong Kong declararam alerta sanitário nesta sexta-feira após a confirmação do primeiro caso de gripe A no local, até agora o único na Ásia . O governo criou um grupo especial para lidar com a situação e está em alerta máximo diante do temor de que o primeiro caso desencadeie uma epidemia no território e, possivelmente, no restante da populosa China.

A vítima da doença é um mexicano que foi à cidade chinesa de Xangai no voo 505 da empresa China Eastern. As autoridades sanitárias puseram em quarentena o hotel Metropark, onde o mexicano infectado se hospedou, e procuram o taxista que o levou ao hotel e os passageiros do mesmo voo em que ele chegou.

O Ministério da Saúde da Dinamarca também confirmou nesta sexta-feira o primeiro caso de uma pessoa infectada com o vírus da gripe A (H1N1) no país .  As autoridades de saúde dinamarquesas ainda não divulgaram mais detalhes sobre o infectado, cujo caso é o primeiro a ser registrado em toda a Escandinávia.

* com informações das agências AFP, BBC, EFE e Reuters

Entenda a gripe A H1N1:

Gripe A H1N1 no Brasil:

Leia mais sobre: gripe A H1N1

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.