QUITO - A Organização dos Estados Americanos (OEA) disse nesta sexta-feira que a solução da disputa diplomática entre Colômbia e Equador é um tema complicado, depois de um ano de frustradas tentativas devido a acusações de ambos os governos sobre o controle da porosa fronteira comum. Mas o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, ressaltou a vigência de mecanismos que poderiam ajudar Quito e Bogotá a retomar seus laços formais, suspensos desde março de 2008, depois de uma incursão militar colombiana contra um acampamento das Farc no território do Equador.

A OEA interpõe seus "bons ofícios" para solucionar a disputa, mas sem resultados devido às reiteradas acusações mútuas.

"É muito complicado... porque o fato que se deu também é complicado", disse Insulza na localidade fronteiriça de San Lorenzo, cerca de 170 quilômetros ao norte de Quito, quando consultado sobre os avanços na solução da disputa.

"Mas verificamos elementos importantes como a cartilha de segurança (ações militares de comum acordo) que está vigente enquanto se vai resolvendo o problema", acrescentou ele, após receber informações sobre as bases das Farc localizadas no lado colombiano da fronteira comum de 600 quilômetros.


Leia mais sobre Farc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.