Criticado por ter proposto uma competição que pretendia eleger a freira mais bonita via internet, um padre italiano voltou atrás e suspendeu tudo. O concurso já tinha nome, Irmã Itália 2008, e estava marcado para começar em setembro, no blog do padre Antonio Rungi, da paróquia de Mondragone no sul do país.

Conforme a intenção do religioso, a escolha seria feita via internet e, além das freiras mais bonitas, os internautas elegeriam também os projetos de trabalho mais interessantes das irmãs.

O aspecto físico, contudo, acabou tendo maior repercussão e isso prejudicou o projeto, na avaliação do clérigo, que interrompeu tudo nesta segunda-feira.

"Estão tentando impedir minha iniciativa, isto é certo", disse padre Rungi à BBC Brasil.

O padre lamentou o destaque excessivo ao aspecto estético, dado pela imprensa, argumentando que a idéia era apresentar as freiras mais expressivas, que tivessem uma história de vida para contar.

"Não seria uma competição de miss, com passarela e desfiles, mas um concurso de beleza global, não apenas exterior mas interior", esclareceu.

A notícia teve destaque na imprensa nacional e internacional e o sacerdote foi chamado por seu superior para dar explicações.

Brasileiras
"Meu superior ficou confuso e provavelmente foi contatado pela Santa Sé. Não entenderam que se trata de um blog. As freiras se apresentariam com áudio e vídeo e poderiam ser votadas com base na opção de vida religiosa que representam. É claro que, tendo uma bela foto, o aspecto físico também seria votado. Há algo de mal nisso?" questionou.

Segundo o padre Antonio, por causa da crise de vocações na Itália, estão vindo religiosas de outros países, mais jovens e com vitalidade. Ele disse aos jornais italianos que há freiras "muito bonitas" provenientes da África e da América Latina, "sobretudo as brasileiras".

"Sem discriminar as outras, as brasileiras são mais alegres e joviais. Quem esteve no Brasil sabe como vivem, é um povo alegre. Elas levam esta espiritualidade da alegria às comunidades religiosas onde vão. Neste sentido, é uma beleza que se transfere em comportamentos, atitudes e felicidade pela escolha que fizeram", disse padre Rungi à BBC Brasil.

O clérigo é conhecido também por suas atividades de divulgação da fé em situações inusitadas, como rezar o terço nas praias em meio aos banhistas de férias. Na interpretação dele o concurso seria um jeito de usar os meios de comunicação modernos para evangelizar.

"É preciso valorizar as novas linguagens, a nova mídia, para levar o bem", justificou o sacerdote que, devido às críticas que recebeu, resolveu suspender o concurso e o próprio blog.

'Provocações'
"Suspendi porque começaram a chegar provocações em vídeos e fotos que nada tinham a ver com o argumento, enviados por pessoas que desejam deturpar a boa iniciativa, que nem era minha".

Quem deu a idéia do concurso foram as próprias freiras, segundo o religioso. "Elas me diziam: 'porque não organizar a visibilidade dos institutos num blog, onde as freiras contariam suas experiências?'"
Nem todas as religiosas contudo vêem a idéia de forma positiva.

"Quem esté a fim de ser miss?", disse à BBC Brasil a Irmã Natália, brasileira de Santa Catarina que vive em Roma há 3 anos. Pertencente à Ordem das Paulinas, congregação especializada em comunicações sociais, a religiosa não concorda com a proposta de votar o trabalho realizado pelas freiras.

"Todos os trabalhos são válidos, um completa o outro. Não é justo definir um melhor do que o outro, nem criticar uma vocação ou tendência ", disse.

Para retomar o projeto, padre Antonio Rungi vai precisar da autorização das próprias religiosas e das madres superioras por escrito, além de passar pelo aval do Vaticano.

"Não estou fazendo nada de mal, é uma forma moderna de promover a imagem das freiras que não são aquelas velhas que querem nos mostrar. São diplomadas, inteligentes, preparadas e poderiam ter uma visibilidade até por sua beleza física, não vejo porque se escandalizar", defendeu o clérigo.

O padre disse que recebeu telefonemas de freiras do Brasil e da Argentina, aprovando a iniciativa.

"Acho difícil que ele consiga criar esse concurso, se quiser mesmo divulgar o trabalho das irmãs através da eleição de miss. É meio estranho mas, quem sabe...", avaliou a Irmã Natália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.