Um juiz chileno emitiu nesta terça-feira uma ordem de prisão contra pelo menos 129 ex-militares chilenos e policiais acusados de diversos atos de violações dos Direitos Humanos ocorridos durante a ditadura de Augusto Pinochet, informou uma fonte judicial à AFP.

O juiz Víctor Montiglio ditou uma ordem de prisão contra ex-agentes da Direção Nacional de Inteligência (DINA), a temida polícia política que operou nos primeiros anos da ditadura de Pinochet (1973-1990), acusada de ser a responsável pela morte da maior parte das 3.000 vítimas que o regime deixou.

A ordem de prisão, à qual teve acesso a fonte que forneceu a informação à AFP, se refere aos casos da 'Operação Condor', coordenada pelas ditaduras do Cone Sul na década de 70 para o extermínio de opositores esquerdistas, e da 'Operação Colombo', que consistiu no desaparecimento de 119 opositores de Pinochet em 1975.

A decisão se refere também ao chamado 'Caso Rua Conferência', de maio de 1976, que levou à detenção de 10 membros do Partido Comunista chileno, que permanecem na condição de desaparecidos até hoje.

A ordem inclui oficiais da reserva que nunca tinham enfrentado a justiça, ex-suboficiais, membros da Força Aérea e da Marinha, assim como ex-integrantes da Polícia Civil e da Polícia uniformizada.

Todos estão na qualidade de co-autores de sequestro qualificado e serão notificados de sua ordem de prisão e julgamento de maneira gradual até sexta-feira, explicou a fonte.

pa/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.