O orçamento para 2010 do governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, destina 27 bilhões de dólares para reforçar a segurança na fronteira, ajudar o México a combater os cartéis da droga e apoiar os serviços migração.

Este valor, que envolve diversos projetos, em vários departamentos, incluídos no orçamento apresentado nesta quinta-feira pela Casa Branca, representa um incremento de 8% em relação à verba prevista no orçamento para o ano fiscal de 2009.

"O governo está muito comprometido com uma agenda de proteção da fronteira e o orçamento inclui 27 bilhões de dólares para a segurança fronteiriça", assinalou à imprensa o diretor de orçamento da Casa Branca, Peter Orszag.

Dentro do plano para reforçar a fronteira sudoeste, com o México, o departamento de Justiça receberá 2 bilhões de dólares, 18% a mais que no ano passado, destinados a financiar o envio de mais agentes e tecnologia à zona para combater os cartéis das drogas.

O texto também prevê duplicar, a 46,8 milhões de dólares, o valor destinado ao departamento de Segurança Interna para enfrentar o tráfico de dinheiro e armas dos Estados Unidos para o México, um problema que o governo do presidente Felipe Calderón aponta como um dos principais obstáculos na luta contra as drogas.

O orçamento prevê contratar 349 investigadores para melhorar a cooperação com o governo mexicano e estabelecer um centro de inteligência fronteiriço, além de 44 agentes de patrulha da fronteira e 65 para a alfândega.

No total, o orçamento prevê fundos para a manutenção de 27 mil agentes na patrulha de fronteira, destacou Orszag.

A violência dos cartéis mexicanos já deixou mais de 7.300 mortos no México desde janeiro de 2008.

O plano também busca "melhorar a aplicação da lei migratória, ao tornar mais eficientes e modernizar os processos migratórios", destacou a Casa Branca.

De fato, o orçamento destina 112 milhões de dólares para melhorar o programa E-Verify, um sistema na Internet que permite aos empregadores contratar imigrantes legalizados.

du/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.