Orçamento de Obama para 2011 deve engavetar planos de voltar à Lua

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, irá revelar hoje sua proposta de orçamento para 2011. O plano, cujo principal objetivo será cortar gastos públicos e gerar empregos, deve engavetar o projeto americano de voltar à Lua até 2020.

BBC Brasil |

O novo orçamento de Obama deve custar aos cofres públicos americanos US$ 3,8 trilhões (R$ 7,1 trilhões).

Para atingir seu grande desafio de reduzir o déficit público do país, que chegou à marca recorde de US$ 1,4 trilhão (R$ 2,6 trilhões), o plano deve cortar US$ 250 bilhões (R$ 468,5 bilhões) de gastos previstos anteriormente. Ao mesmo tempo, ele terá de estimular a geração de vagas de trabalho já que a taxa de desemprego no país chegou a 10%.

Uma das vítimas da nova proposta deve ser o plano da Nasa, agência espacial americana, de voltar à Lua até 2020. O projeto Constellation, que inclui a produção de dois novos foguetes espaciais, Ares-1 e Ares-5, e uma nova nave tripulada chamada Orion, foi lançado pelo ex-presidente George W. Bush em 2004.

Pelas novas diretrizes a serem propostas por Obama, a Nasa deverá usar seus recursos para incentivar empresas privadas a desenvolverem mais projetos de levarem humanos à órbita terrestre.

"Em um momento em que a criação de empregos é a principal prioridade da nossa nação, um programa de tripulação comercial vai criar mais empregos por dólar, porque gerará milhões em investimento privado e utilizará o potencial dos sistemas que atentem tanto ao governo quanto à iniciativa privada", analisou Bretton Alexander, presidente da Federação de Vôos Espaciais Comerciais dos Estados Unidos.

Na semana passada, em discurso ao Congresso americano, Obama qualificou a geração de emprego como sua prioridade número um.

"As pessoas estão sem trabalho. Elas estão sofrendo. Elas precisam de nossa ajuda. E eu quero um projeto para gerar empregos na minha mesa sem demora (...) Empregos devem ser nosso foco número um em 2010", declarou.

Com esse objetivo de reduzir o desemprego, além de alterar o foco da Nasa, o presidente deve estimular gastos em tecnologias verdes, cujo objetivo é preservar o meio ambiente, e aumentar os recursos destinados aos setores de educação e defesa.

O projeto de orçamento de Obama, que começa a valer em outubro deste ano, precisa ainda ser aprovado pelo Congresso americano.

Leia mais sobre: Obama - EUA

    Leia tudo sobre: euaeua no afeganistãoobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG