OPS recomenda à Guatemala não baixar a guarda diante da gripe

Guatemala, 10 mai (EFE).- A Organização Pan-americana da Saúde (OPS) recomendou à Guatemala não baixar a guarda e qualificou de corretas as medidas aplicadas para evitar a expansão da gripe suína, que até hoje causou três casos positivos no país.

EFE |

Em entrevista publicada hoje pelo jornal local "Prensa Libre", o representante da OPS na Guatemala, Joaquín Molina, disse que é preciso reforçar as medidas de trabalho, depois do registro de três casos.

Segundo Molina, é preciso vigiar os casos sintomáticos tanto em hospitais públicos quanto privados, manter a prevenção e que o sistema de saúde esteja preparado para a chegada em massa de pacientes, identificar lugares onde colocar camas e lugares onde se possa isolar os doentes, além de contar com remédios.

Na quarta-feira passada, o Governo do presidente guatemalteco, Álvaro Colom, decretou "estado de calamidade pública" no país, para ter melhor controle e adotar as medidas que forem necessárias para evitar a propagação do vírus.

Na opinião do representante da OPS, ainda há poucos casos na Guatemala e não é necessário que o Governo imponha medidas mais estritas, mas recomendou que as autoridades não baixem a guarda.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE oro/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG