Opositores votam e questionam transparência de referendo na Bolívia

Santa Cruz (Bolívia), 25 jan (EFE).- Os líderes autonomistas do departamento de Santa Cruz, leste da Bolívia, e opositores ao presidente Evo Morales foram hoje votar no referendo sobre a nova Constituição expressando dúvidas sobre a transparência da consulta.

EFE |

Durante a campanha do referendo constitucional, os dirigentes de Santa Cruz e outros departamentos autonomistas, como Beni, Tarija ou Chuquisaca, foram os mais fortes defensores do "Não" ao novo projeto constitucional que está sendo votado hoje na Bolívia e com o qual Morales pretende "refundar" o país.

Os opositores autonomistas rejeitam o texto, pois afirmam que não contém suas reivindicações de autogoverno, questão que manteve os líderes em confronto com o Governo longo de 2008.

O governador regional de Santa Cruz, o opositor Rubén Costas, votou no começo da manhã em um colégio eleitoral do centro da capital de Santa Cruz, onde expressou suas suspeitas sobre uma possível fraude neste referendo.

"Estamos preocupados com o que aconteceu na eleição anterior, e com todas as dificuldades que enfrentamos nestas (horas) prévias e todas as denúncias", disse Costas, que, no entanto, convocou a população a participar da consulta.

Pouco antes, o governador participou de uma missa na catedral de Santa Cruz, onde também elogiou a presença de observadores internacionais de instituições as quais qualificou de "sérias", e destacou que também não tinha de que se queixar.

"No oeste do país, há lugares inexpugnáveis (...), não tenho a certeza de que os observadores vão estar nos lugares certos", disse Costas, em alusão às regiões da Bolívia nas quais Evo Morales tem maior eleitorado.

Após assistir à cerimônia religiosa, o presidente do Senado, o também opositor e de Santa Cruz Óscar Ortiz, pediu aos cidadãos que denunciem à imprensa as irregularidades que presenciarem.

Por sua parte, o presidente do Comitê Cívico de Santa Cruz e um dos principais opositores a Morales, o empresário Branco Marinkovic, convocou os bolivianos às urnas para definir qual visão de país desejam.

Também votaram nas primeiras horas da consulta outros dirigentes departamentais opositores, como os governadores regionais de Tarija, Mario Cossío; Beni, Ernesto Suárez, e Chuquisaca, a indígena quíchua Savina Cuéllar. EFE az/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG