Opositores veem com bons olhos possível distensão entre EUA e Cuba

Havana, 4 abr (EFE).- Diversos opositores cubanos consideraram positivos os sinais americanos que apontam para uma distensão do conflito entre Washington e Havana, incluindo a visita à ilha de sete congressistas democratas que se encontraram com dirigentes cubanos neste fim de semana.

EFE |

O porta-voz da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, não reconhecida pelo Governo de Cuba, Elizardo Sánchez, declarou à Agência Efe que a organização vê "com bons olhos" todos os esforços feitos para normalizar as relações bilaterais.

Sánchez esclareceu que os parlamentares americanos ainda não pediram para se reunir com a comissão e acrescentou que os dissidentes estão "muito preocupados com a falta de sinais" do presidente cubano, Raúl Castro, a respeito de avanços nos direitos humanos na ilha.

Ao comentar as notícias de que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, suspenderá as limitações para viagens ou remessas de dinheiro a Cuba, o porta-voz lembrou que os residentes na ilha continuam sem poder viajar livremente para o exterior e inclusive têm restrições para se movimentar dentro do país.

Já Manuel Cuesta Morúa, do grupo Arco Progressista, disse à agência Efe considerar "positiva" a visita dos parlamentares americanos, que já se reuniram com o presidente do Parlamento cubano, Ricardo Alarcón, e com o ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez.

"O inteligente é fazer política, e não se prender a posições como o embargo (que Washington aplica a Havana desde 1962) e as restrições de viagens dos americanos a Cuba", afirmou Cuesta. EFE rmo/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG