Opositores tailandeses deixam a sede do governo em Bangcoc

Os manifestantes antigovernamentais da Tailândia começaram a abandonar nesta segunda-feira a sede do governo, que ocupavam desde 26 de agosto, para concentrar suas ações nos aeroportos de Bangcoc.

AFP |

"Todos começaram a sair, o deslocamento deve terminar à tarde", declarou à AFP a porta-voz da Aliança do Povo pela Democracia (PAD), Anchalee Paireerak, que reúne os opositores ao governo tailandês.

"Todas as barracas serão desmontadas", acrescentou.

"Vamos seguir para Don Mueang (vôos domésticos) e Suvanabhumi (vôos internacionais)", completou, em referência aos aeroportos ocupados desde semana passada.

"É muito arriscado permanecermos na sede de governo por causa dos ataques cometidos contra nós", acrescentou.

Um ataque com granada contra a Casa de Governo, na madrugada del domingo, deixou 49 feridos. Outros ataques cometidos no mês passado levaram a PAD a anunciar a "batalha final" para derrubar o primeiro-ministro Somchai Wongsawat.

A PAD passou a ocupar na semana passada os aeroportos civis de Bangcoc, provocando o fechamento dos mesmos e aprofundando a crise política que afeta o país há vários meses.

O acampamento que os opositores criaram há mais de três meses na sede de governo obrigou o premier a instalar seu gabinete no aeroporto de Don Mueang.

No entanto, este aeroporto também foi ocupado pelos militantes da PAD na semana passada.

Wongsat retornou semana passada para a Tailândia, depois de ter participado na reunião do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) no Peru, mas seu avião pousou em Chiang Mai, uma cidade do norte do país, onde o primeiro-ministro permanece desde então.

Os manifestantes autorizaram ainda nesta segunda-feira a decolagem de 37 aviões vazios do aeroporto internacional de Bangcoc, anunciou a porta-voz da empresa Aeroportos da Tailândia (AOT), que administra o local.

No total, 88 aeronaves estavam bloqueadas no aeroporto de Suvarnabhumi. Trinta e sete decolaram na noite de domingo, após a mediação da AOT que foi aceita pelos opositores.

"As companhias aéreas internacionais devem entrar em contato conosco para recuperar os aviões bloqueados em Suvarnabhumi", disse a porta-voz.

Mais de 100.000 passageiros estão bloqueados com a situação e outros aeroportos do país estão sendo utilizados para retirar as pessoas desta situação aos poucos.

ask/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG