Caracas, 9 ago (EFE).- Opositores realizaram um protesto hoje contra o presidente venezuelano, Hugo Chávez, enquanto partidários do chefe de Estado fizeram uma marcha em apoio ao líder boliviano Evo Morales.

A marcha opositora, que reuniu em Caracas milhares de pessoas, protestou principalmente contra as 79 leis que Chávez promulgou durante os últimos 18 meses, com base em poderes legislativos especiais concedidos a ele pelo Parlamento.

Os opositores condenaram que várias dessas leis tenham sido promulgadas nos últimos dias da semana passada, quando concluiu esse lapso de 18 meses, e que estivessem relacionadas com temas que foram negados no referendo que frustrou o empenho de Chávez para reformar a Constituição em dezembro.

Os anti-chavistas também reclamaram do recente aval judicial a uma disposição da Contraladoria, que desabilitou eleitoralmente funcionários e ex-funcionários acusados de corrupção, a maioria governistas, embora também tenha afetado líderes da oposição, que viram frustrados seus desejos de se candidatar às eleições regionais e municipais de novembro.

"Não se mobilizar é apoiar o socialismo chavista", ressaltou a dirigente opositora Liliana Hernández, candidata a uma das cinco Prefeituras de Caracas.

Na marcha dos governistas, que aconteceu em outra zonas de Caracas, sem incidentes, predominou a cor vermelha que Chávez e seus seguidores utilizam inclusive em suas roupas.

Esta manifestação concentrou seu apoio ao governante boliviano, cuja continuidade na Presidência será decidida amanhã em referendo.

Os governistas de Caracas marcharam paralelamente com outros manifestantes no interior do país, em apoio a seus candidatos.

Nas duas manifestações não houve estimativas oficiais sobre o número de participantes. EFE ar/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.