Opositores de Morales e militares se enfrentam em região amazônica da Bolívia

La Paz, 3 set (EFE).- Grupos de opositores ao presidente Evo Morales, que tentavam tomar a sede de instituições públicas, e a Polícia Militar se enfrentaram nesta madrugada na região amazônica de Beni (nordeste da Bolívia), informa hoje a imprensa local.

EFE |

Os confrontos, que duraram mais de seis horas, começaram quando cerca de cem membros do movimento autonomista tentaram invadir as instalações do escritório regional de Impostos Nacionais em Trinidad, capital de Beni, ação que a Polícia respondeu com gás lacrimogêneo.

A violência surgiu após um movimento autonomista de Beni decidir tomar instituições "do centralismo" em rejeição ao referendo para aprovar a nova Constituição impulsionada pelo Governo Morales, explicou o presidente do comitê cívico da localidade, Alberto Melgar, ao jornal "La Razón".

Ele também afirmou que o delegado do Governo nesta região, Palmiro Soria, "não tem pegada" em Trinidad nem nas províncias.

Diferentes protestos acontecem há algumas semanas nas regiões bolivianas controladas por opositores a Morales e exigem a devolução de uma receita petrolífera que o Governo parou de entregar em janeiro passado aos departamentos para pagar uma ajuda direta aos maiores de 60 anos.

Estes atos reivindicativos se intensificaram desde a última sexta, quando Morales promulgou um decreto que fixa para 7 de dezembro o referendo para validar o projeto constitucional rejeitado pela oposição. EFE lav/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG