La Paz, 6 mai (EFE).- Manifestantes opositores atacaram hoje na cidade boliviana de Sucre os veículos da ministra da Justiça, Celima Torrico, e de seu colega da Defesa, Wálker San Miguel, que qualificou o fato de uma mostra de xenofobia e intolerância.

O ministro San Miguel confirmou à rede de televisão "UNO" os ataques realizados no veículo da ministra Torrico, que pertence à etnia quíchua, quando ambos saíam da Corte Suprema.

Os dois ministros haviam participado minutos antes da posse do novo presidente do órgão judicial, Eddy Fernández.

Os manifestantes insultaram os ministros do Governo de Evo Morales que abandonaram a Corte Suprema com uma escolta policial.

Os opositores destruíram a janela de um automóvel oficial e um dos agentes de segurança sacou sua arma como medida de prevenção, enquanto era assediado pelos manifestantes, segundo mostraram os canais de televisão.

San Miguel disse que sua colega de Justiça sofreu as agressões que provam "o racismo, a xenofobia e a intolerância de pessoas que não se acostumaram ainda a viver em uma democracia".

Os manifestantes de Sucre gritavam "assassinos" em alusão à suposta responsabilidade do Governo sobre as três mortes registradas em Sucre, em novembro de 2007, quando ocorreram graves distúrbios contra a Assembléia Constituinte.

O ministro acusou os funcionários da Prefeitura de Sucre pelas agressões. Aydee Nava, responsável pela prefeitura participa de um movimento opositor a Morales, cuja presença nessa cidade, que é a capital legal do país, também foi rejeitada em outras ocasiões. EFE ja/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.