Opositores ao regime de Pyongyang enviam propaganda da Coreia do Sul

Seul, 17 mar (EFE).- Um grupo de opositores ao regime norte-coreano enviou hoje 100 mil panfletos de propaganda contra o líder comunista Kim Jong-il, a partir do lado sul-coreano da fronteira em direção à Coreia do Norte, apesar do pedido de Seul para interromper a campanha.

EFE |

Cerca de 20 ativistas jogaram, presos a balões, folhetos de propaganda a partir da localidade sul-coreana de Imjingak, 50 quilômetros ao noroeste de Seul, em meio à tensão gerada desde janeiro na península coreana, informou hoje a agência "Yonhap".

Os panfletos divulgados hoje por refugiados norte-coreanos opositores a Kim Jong-il o descrevem como "o mais cruel ditador e assassino", e vão acompanhados de dinheiro.

"Queremos dizer a verdade aos cidadãos norte-coreanos", disse Park Sang-hak, representante de um grupo contrário ao regime de Pyongyang, em Seul.

Ativistas do mesmo grupo opositor a Kim Jong-il já haviam enviado em 16 de fevereiro cerca de 20 mil panfletos, por ocasião do 69º aniversário do líder norte-coreano, mas a maior parte deles não conseguiu chegar até seu destino, segundo a "Yonhap".

O Governo sul-coreano pediu à Procuradoria que investigue esse grupo por introduzir moeda norte-coreana na Coreia do Sul para sua campanha, algo proibido pela legislação sul-coreana.

Seul pediu várias vezes que os ativistas parem o envio de panfletos, já que aumentam a tensão entre as duas Coreias e foram objeto de críticas por Pyongyang.

A relação entre Coreia do Sul e Coreia do Norte, deteriorada desde a chegada, há um ano, ao Governo sul-coreano do conservador Lee Myung-bak, piorou em janeiro, quando Pyongyang rompeu os acordos de não confronto político e militar com Seul. EFE ce-clb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG