Opositores a Morales se reúnem em Santa Cruz para unificar posição

Santa Cruz (Bolívia), 13 set (EFE) - Os governadores regionais opositores à Administração de Evo Morales se reuniram hoje à tarde em Santa Cruz para coordenar uma posição nas conversas que, amanhã, retomarão com o Governo para pôr fim a uma crise que já deixou 16 mortos.

EFE |

Um dos participantes da reunião de sexta-feira com o vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera, explicou à Agência Efe que os governadores regionais ouvirão o tratado entre o Governo e a delegação do departamento de Tarija, no extremo sul do país, que atuava em representação de todas as Prefeituras opositoras.

Juan Carlos Keri, membro da delegação de Tarija e reitor da universidade estadual dessa cidade, confirmou o que foi dito por Morales esta manhã em entrevista coletiva.

Segundo o presidente, o Governo se mostrou disposto a revisar as exigências autonomistas destes governadores regionais e a estudar, igualmente, a parte da receita petrolífera que o Executivo cortou em janeiro.

Em contrapartida, explicou Keri, o Governo exigiu que os opositores devolvam os poços de petróleo e as instituições governamentais ocupadas nos últimos dias por grupos de oposição radicais com a passividade ou a conivência destes governadores.

Ele qualificou a reunião de sexta-feira de "muito difícil", mas se mostrou esperançoso por ser a primeira ocasião em que se produz uma verdadeira tentativa de diálogo entre as duas partes, com posturas tão divergentes.

A delegação de Tarija antecipou ao Governo uma reivindicação que todos os governadores regionais apóiam: suspender os trabalhos parlamentares da semana que vem para analisar a convocação de um plebiscito que aprove o projeto de Constituição promovido por Morales.

Esta suspensão se apóia em que os opositores exigem que a nova Carta Magna contemple de forma clara e precisa a existência de departamentos com competências executivas, legislativas e tributárias, e que anulem outros níveis autônomos que poderiam se sobrepor aos dos departamentos.

Outra das exigências dos governadores regionais para poder chegar a um acordo é que na sessão de amanhã, na qual serão retomadas as negociações com o Governo, o próprio Morales esteja presente.

Além disso, os governadores regionais opositores pediram que na reunião de amanhã seja fixado um calendário de diálogo no qual os objetivos e os participantes estejam bem definidos.

De qualquer forma, os representantes de Tarija, Santa Cruz e Beni, assim como das Prefeituras de Pando e Chuquisaca, devem definir esta mesma tarde sua posição pactuada antes de voltar amanhã à mesa de negociações.

Na cidade de Santa Cruz, epicentro dos protestos contra Evo Morales há dois anos, o ambiente é de calma total depois dos distúrbios da quarta-feira passada, cujas conseqüências (vidros quebrados, pichações nas ruas) ainda são visíveis. EFE fjo/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG