Opositora pede que Lugo seja investigado por abuso de menor

Assunção, 21 abr (EFE).- A presidente do opositor Partido Colorado, Lilian Samaniego, solicitou hoje à Procuradoria que investigue o chefe de Estado paraguaio, Fernando Lugo, por um suposto caso de abuso de menor, dentro do escândalo de paternidade enfrentado pelo ex-bispo.

EFE |

"Queremos que a Justiça esclareça se houve ou não abuso de menor", disse Samaniego em alusão à relação que Lugo admitiu na semana passada ter tido com Viviana Carrillo, de 26 anos, com quem teve o filho Guillermo Armindo Carrillo.

A criança nasceu em 4 de maio de 2007, cinco meses após Lugo ter renunciado a seu estado clerical, em 21 de dezembro de 2006, para, assim, entrar na política.

Carrillo denunciou o chefe de Estado há duas semanas para exigir que assumisse seu filho e, segundo informou a imprensa na ocasião, a jovem relatou que "tinha apenas 16 anos" quando começaram a relação.

Nesse sentido, Samaniego considerou que o líder em nenhum momento negou que sua relação com Carrillo tenha começado há dez anos, quando a jovem ainda era menor de idade.

"Como mulheres não podemos deixar isso como se não tivesse acontecido nada", assegurou a dirigente opositora, cujo partido perdeu sua hegemonia de 61 anos no Governo nas eleições gerais de 20 de abril de 2008, quando Lugo chegou ao poder.

O pedido de Samaniego é feito um dia depois que o líder foi denunciado por outra mulher, Benigna Leguizamón, de 27 anos, que assegura que o chefe de Estado é o pai do segundo de seus quatros filhos, de seis anos. EFE rg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG