Opositora é contra inscrição de seu partido em eleição birmanesa

Bangcoc, 23 mar (EFE).- A líder opositora de Mianmar e prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi se opôs à participação de seu partido, a Liga Nacional para a Democracia (LND), nas eleições convocadas pela Junta Militar que governa o país, informaram hoje fontes próximas a ela.

EFE |

Um dos advogados de Suu Kyi, que passou 14 dos últimos 20 anos em prisão domiciliar, disse que ela nem cogita a hipótese de a LND se registrar na nova comissão eleitoral, para o que o partido tem até maio, segundo o jornal da dissidência "The Irrawaddy".

A legislação eleitoral aprovada pelo regime militar estabelece que nenhum condenado pode participar da política nacional, o que torna Suu Kyi inelegível para cargos públicos.

Além de Suu Kyi, Mianmar tem cerca de 2.200 presos políticos que não poderão estar nas eleições, como pede a comunidade internacional, com a ONU, os Estados Unidos e a União Europeia à frente.

A Suprema Corte de Mianmar (antiga Birmânia) também desprezou hoje um recurso apresentado pela LND que questionava a legalidade da nova lei eleitoral. EFE grc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG