Opositor venezuelano deve se apresentar a juíza em 20 de abril

Caracas, 1 abr (EFE).- O líder opositor venezuelano e atual prefeito de Maracaibo, Manuel Rosales, deve se apresentar em 20 de abril perante a juíza que ouvirá suas alegações frente à acusação de enriquecimento ilícito, informou hoje a Procuradoria.

EFE |

A data dessa audiência preliminar, disse a Procuradoria, foi decidida pelo 10º Tribunal de Controle do Circuito Judicial da Área Metropolitana de Caracas, a cargo da juíza Reina Morandi.

A juíza decidirá em 20 de abril se Rosales, que, segundo a esposa, não foi visto em público por motivos de segurança, "continuará o julgamento livre ou privado de liberdade", acrescentou a parte acusadora, em uma decisão judicial anunciada pela estatal "Agência Bolivariana de Notícias" ("ABN").

"A apresentação do ato conclusivo, que consta de 26 peças, cita o crime de enriquecimento ilícito previsto e sancionado" na Lei contra a Corrupção, com penas de entre três e dez anos de prisão, destacou.

Rosales foi acusado pela Procuradoria em 11 de dezembro de 2008 com base em um relatório de 19 de julho de 2007 da Controladoria Geral, que averiguou sua declaração de patrimônio desde 2004 e detectou "fundos não justificados", segundo a acusação.

O processo em si começou em 13 de setembro de 2004, depois que o secretário regional do partido Pátria Para Todos (PPT), José Pirela, o denunciou pela suposta aquisição de bens imóveis, diretamente ou através de testas-de-ferro.

Após ser acusado, o então governador de Zulia (noroeste) e atual prefeito de Maracaibo, capital desse estado, foi investigado adicionalmente pela Comissão de Controladoria da Assembleia Nacional, que, em dezembro do ano passado, o acusou de outras supostas irregularidades e o declarou "politicamente" culpado. EFE ar/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG