MOSCOU - Mikhail Dobrojotov, ativista opositor que interrompeu, nesta sexta-feira, o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, quando ele discursava no Kremlin, foi despedido de seu trabalho, informou neste sábado a rádio Eco de Moscou, mas atribuiu a demissão a um corte de gastos da outra estação de rádio onde trabalhava.

"As emendas à Constituição são vergonhosas, necessitamos eleições livres!", gritou Dobrojotov desde a platéia do Palácio, enquanto o chefe do Estado falava do 15º aniversário de aprovação da Carta Magna da Rússia.

Medvedev continuou falando como se nada acontecesse, mas interrompeu seu discurso quando os guardas de segurança se aproximaram para tirar da sala o causador do incidente.

"Não se deve levá-lo a lugar algum, que fique e escute", disse o presidente russo, que acrescentou: "Falando francamente, a Constituição foi aprovada para que cada um tenha direito a expressar sua postura".

No entanto, apesar das indicações do presidente, os guardas tiraram Dobrojotov da sala e o levaram a uma delegacia policial.

Após permanecer detido por várias horas, o ativista, de 22 anos e membro do partido opositor "A Outra Rússia", ficou em liberdade e sem acusações. "Acabam de me informar que não trabalho mais na rádio "Govorit, Moskva" (Fala, Moscou!). Coincidiu que precisamente fui afetado por uma redução de pessoal", escreveu em seu blog (dobrokhotov.livejournal.com).

Em seus 15 anos, a Constituição russa não foi submetida a emenda alguma, mas atualmente se encontra em andamento um processo de aprovação de modificações constitucionais impulsionadas por Medvedev.

O chefe do Estado propôs ampliar de quatro a seis anos o período presidencial e de quatro a cinco anos a legislatura, assim como estabelecer um relatório anual do Governo à Duma (Câmara dos Deputados).

As remodelações promovidas por Medvedev já foram aprovadas pela Duma e o Conselho da Federação, a Câmara Alta do Parlamento russo, e devem ser ainda ratificadas pelas assembléias legislativas de pelo menos dois terços das repúblicas e regiões que integram a Federação da Rússia. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.