La Paz, 17 ago (EFE).- O senador opositor boliviano Tito Hoz de Vila disse hoje que a imagem do presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula Da Silva, pode ser prejudicada se os cocaleiros de Chapare fizerem sua escolta na visita que realiza ao país, próximo sábado.

O dirigente dos produtores de coca de Chapare Julio Salazar, confirmou hoje a Efe que os sindicatos dessa região planejam uma mobilização de 100 mil pessoas para receber a Lula e outras 2 mil para escoltá-lo e fazer sua segurança.

"O problema do terrorismo nos obriga a formar nossa segurança sindical, paralela à da Polícia e da segurança do presidente. Vamos coordenar com a Embaixada e a Chancelaria brasileiras", disse Salazar.

Hoz de Vila, vice-presidente da Comissão de Assuntos Exteriores do Senado, disse ter recebido ligações de legisladores do Brasil, que não quis identificar, preocupados com a escolta que os cocaleiros pretendem dar a Lula quando visite o Chapare (centro do país), uma das principais zonas de produção de folha de coca na Bolívia e "feudo" sindical do presidente Evo Morales.

O presidente brasileiro visitará a região do Chapare no próximo sábado para assinar com Morales um acordo de cooperação de $332 milhões para a construção de uma estrada entre as localidades de Villa Tunari e San Ignacio de Moxos (Beni, leste).

"Se Evo é um verdadeiro amigo de Lula deve evitar que os cocaleiros de Chapare sejam a segurança do presidente brasileiro na sua visita de 22 de agosto, pois lhe trará sérios problemas no Brasil", disse Hoz de Vila em comunicado.

Segundo o senador da aliança direitista de Poder Democrático e Social (Podemos), os parlamentares brasileiros com os quais conversou assinalaram que a Lula já representa um problema visitar o Chapare porque no Brasil todos sabem que ali "se fabrica cocaína".

"As ligações dos colegas brasileiros foram uma espécie de SOS, para alertar que se é verdade que os cocaleiros de Chapare se encarregarão da segurança de Lula (...) sua popularidade no Brasil será severamente afetada", comentou.

Perante estas afirmações, o sindicalista Salazar afirmou a Efe que os produtores de coca "não são delinquentes".

"Uma coisa são os cocaleiros e outra coisa são os narcotraficantes", disse Salazar ao qualificar "de racista e fascista" ao senador Hoz de Vila e insistir em que a folha de coca é um produto natural de usos culturais diferente da cocaína. EFE ja/fk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.