Opositor a Chávez justifica pedido de asilo ao Governo peruano

Lima, 22 abr (EFE).- O opositor venezuelano Manuel Rosales, que pediu asilo político no Peru, afirmou ter escolhido o país devido à prosperidade econômica experimentada pela nação nos últimos tempos e pelo respeito às instituições e aos direitos humanos.

EFE |

Em entrevista após a transmissão de uma mensagem na televisão peruana, Rosales disse que pode voltar à Venezuela: "Em breve, voltarei: a tirania, como tudo, tem seu tempo, e nós vamos seguir lutando", afirmou.

O Governo peruano se reuniu hoje com o conselho de ministros para avaliar o pedido de asilo de Rosales, e durante a sessão, o chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, interrompeu o encontro para advertir de que nenhum estrangeiro deve usar o país como plataforma política.

"O Governo peruano não pode ser utilizado como plataforma política por nenhum estrangeiro, porque isso violaria a própria natureza do refúgio ou asilo político que possa ser concedido", afirmou o ministro.

"Tenho plena confiança nas instituições peruanas. É um país com tradição nesta matéria (de asilo político), abriu precedente na história da Venezuela, da América do Sul e do mundo pelo respeito aos direitos humanos", disse Rosales.

O político esclareceu as razões para ter decidido se refugiar no Peru: "É um dos poucos países que vão crescer (economicamente); há, além disso, uma tendência forte à mudança, ao respeito das instituições, aos valores da democracia e aos direitos humanos", destacou.

O prefeito da cidade venezuelana de Maracaibo anunciou que amanhã concederá uma entrevista coletiva. EFE fjo/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG