Oposição venezuelana critica ordem da Promotoria de deter prefeito

Caracas, 20 mar (EFE).- Prefeitos, governadores e líderes regionais e nacionais da Venezuela expressaram hoje, em Maracaibo, noroeste, seu repúdio ao pedido da Promotoria para que a Justiça detenha o prefeito da cidade, Manuel Rosales, um dos principais líderes da oposição.

EFE |

Em vários discursos, os políticos manifestaram apoio ao prefeito de Maracaibo e ex-candidato presidencial, que qualificou o presidente Hugo Chávez de "covarde e traidor do povo" e acusou o líder de ter ordenado à Promotoria que agisse contra si.

A Promotoria acusa Rosales de enriquecimento ilícito, crime punido com entre três e dez anos de prisão, e pediu na quinta-feira ao Poder Judiciário que ordene à Polícia seu encarceramento, o que deve ser aceitado ou rejeitado em, no máximo, três semanas.

Sobre as manifestações de hoje, o opositor não quis calcular quantas pessoas teriam participado dos atos, mas aproveitou para negar as acusações de corrupção.

Segundo Rosales, esse crime é "incontável no entorno de Chávez", a quem acusou de se valer de mentiras para "humilhar quem quiser, de querer prender quem quiser, porque liquidou o estado de direito".

EFE ar/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG