Caracas, 19 fev (EFE).- O líder opositor venezuelano Henry Ramos Allup pediu hoje às forças políticas contrárias a Hugo Chávez que não façam papel de bobo e deixem de atribuir à abstenção e ao uso da máquina administrativa a vitória do presidente no referendo de domingo que o deu o direito de se candidatar indefinidamente.

"A oposição não pode seguir dizendo que perdeu o devido aos abusos do Governo ou pela abstenção", ressaltou em entrevista coletiva o secretário-geral do partido Ação Democrática (AD, social-democrata).

Os 54,85% de votos a favor da emenda de Chávez "refletem que seu apoio popular cresceu 5,56%, enquanto os 45,15% dos votos opositores marcaram uma queda de 5,55% em relação ao referendo de 2007 (vencidos pela oposição)", ressaltou.

Se a oposição "não reconhecer a realidade e seguir sem pôr os pés no chão não terá sucesso em suas próximas eleições, especialmente nas presidenciais que, em dezembro de 2012, decidirão o período 2013-2019 e nas quais Chávez já disse que apresentará seu nome", acrescentou.

Sobre a diminuição da abstenção, com o comparecimento de às urnas70% dos quase 17 milhões de eleitores, Ramos Allup destacou que isso favoreceu a Chávez e não ao "antichavismo".

Portanto, "não se diga que perdemos pela abstenção, que não é causa, mas a consequência de algo", concluiu. EFE ar/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.