Oposição vence as eleições na Grécia

O partido de oposição Movimento Socialista Pan-Helênico (Pasok) venceu as eleições gerais na Grécia neste domingo, derrotando o partido do primeiro-ministro Costas Karamanlis, o conservador Nova Democracia, que estava no poder desde 2004. De acordo com a agência de notícias estatal grega ANA, Karamanlis teria telefonado na noite deste domingo para o líder do Pasok, George Papandreou, para parabenizá-lo pela vitória no pleito. Karamanlis também teria renunciado à Presidência de seu partido.

BBC Brasil |

Reuters
O líder do Pasok George Papandreou durante discurso em Atenas


Com aproximadamente 40% dos votos apurados, os socialistas lideravam com mais de 43% da preferência do eleitorado, contra 35% do Nova Democracia.

O Pasok, que estava na oposição há mais de cinco anos, precisa ter 43% dos votos para ganhar a maioria absoluta no parlamento grego.

O porta-voz do partido, Iannis Ragousis, afirmou que a vitória deste domingo "é uma grande responsabilidade".

"Nós iremos fazer tudo que for possível para transformar essa grande vitória eleitoral em um mandato de quatro anos produtivo para todos os gregos", afirmou.

Eleições antecipadas
As eleições deste domingo foram convocadas pelo premiê Costas Karamanlis no início de setembro, na metade de seu segundo mandato como primeiro-ministro.

Na ocasião, Karamanlis afirmou que queria obter mais quatro anos no cargo para resolver os problemas econômicos da Grécia.

A oposição, no entanto, acusa o premiê de não ter conseguido lidar com as questões econômicas nem modernizar o país. Seu governo também foi atingido por uma série de escândalos de corrupção.

Durante a campanha, o líder do Pasok, George Papandreou, prometeu lançar um pacote de US$ 4,5 bilhões para estimular a economia do país, além de investir em fontes de energia alternativas, como solar e eólica.

Segundo o repórter da BBC Malcolm Brabant, que está em Atenas, os conservadores classificavam as propostas de Papandreou como irresponsáveis, afirmando que as medidas iriam aumentar ainda mais o déficit fiscal do país.

Parlamento
A oposição precisa ter ao menos 43% dos votos para assegurar a maioria no Parlamento e formar um novo governo.

Quarenta assentos da casa ficam automaticamente com o partido vencedor nas eleições, enquanto os outros 260 são distribuídos proporcionalmente.

Se nenhum partido assegurar a maioria, o presidente da Grécia, Karolos Papoulias, pedirá ao líder do partido vencedor para que ele forme um governo de coalizão.

Caso isto não ocorra, novas eleições serão convocadas.

Leia mais sobre: eleições na Grécia

    Leia tudo sobre: atenaseleiçõesgréciaoposição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG