Oposição quer aprovar um estatuto ilegal, diz representante de Evo Morales

Santa Cruz (Bolívia), 1 mai (EFE).- A representante do Governo da Bolívia na região de Santa Cruz, Gabriela Montaño, disse em entrevista à Agência Efe hoje que, com o referendo pela autonomia de 4 de maio, a oposição procura fortalecer sua posição para um futuro diálogo.

EFE |

"O mais grave engano (da oposição) é pressionar a população para que aprove um estatuto só para depois negociar sua aplicabilidade, apesar de saberem que é ilegal", afirmou Montaño em entrevista à Efe.

Santa Cruz prepara para o próximo domingo um referendo que o Governo chamou de ilegal e que tem dividido o país e gerado uma profunda crise que a Organização dos Estados Americanos (OEA) está tentando mediar além de abrir um processo de negociação.

Para Montaño, "a oposição regional e partidária", em referência àqueles que propuseram o referendo, pretende provocar a "ingovernabilidade" da Bolívia.

A representante do Executivo acrescentou que o "Governo não questiona o voto da população como um dos mecanismos de exercer a democracia", e sim a "legalidade do processo" e o "conteúdo dos estatutos que fragmentam a institucionalidade do país".

O Executivo, em várias ocasiões, chamou o referendo de Santa Cruz de uma mera pesquisa de caráter separatista e não vinculativo, e por isso pediu à população para não ir votar. EFE az/bm/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG