Oposição pode faturar Prefeituras de RJ e SP nas eleições de amanhã

Carlos A. Moreno.

EFE |

Rio de Janeiro, 25 out (EFE) - Mais de 27 milhões de brasileiros irão às urnas amanhã para eleger prefeitos em 30 cidades de todo o país, entre elas as principais do xadrez político do Brasil, como Rio de Janeiro e São Paulo, onde os favoritos são opositores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Após terem sido considerados os maiores vencedores do primeiro turno das eleições municipais e terem conquistado mais de 60% das Prefeituras, os partidos da base do Governo podem enfrentar grandes derrotas na disputa pela Administração das duas maiores cidades do Brasil.

Os resultados também podem fortalecer politicamente o governador de São Paulo, José Serra, apontado pelas pesquisas de opinião como um forte candidato para as eleições presidenciais de 2010, o primeiro pleito em mais de 20 anos a não ter Lula como candidato.

A atenção do Governo estará voltada amanhã para o segundo turno na capital paulista, onde o presidente pode sofrer sua maior derrota nas eleições de amanhã.

Segundo as últimas pesquisas, as eleições em São Paulo serão vencidas pelo atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), com 54% dos votos, contra a ex-prefeita Marta Suplicy (PT), com 36%.

Lula, que teve uma participação tímida durante a campanha eleitoral para o primeiro turno, atuou diretamente nos comícios de Marta e chegou a pedir aos petistas que saíssem às ruas e buscassem votos.

Kassab, eleito vice-prefeito de São Paulo em 2004 e que assumiu a Prefeitura em 2006, tem como padrinho político Serra, cujas aspirações presidenciais podem ser fortalecidas com uma vitória do candidato do DEM em São Paulo.

Embora as pesquisas apontem empate técnico, o favorito a vencer as eleições no Rio de Janeiro é o candidato do PV, Fernando Gabeira, mas ele é seguido de perto pelo aspirante do PMDB, Eduardo Paes, apoiado por Lula.

Belo Horizonte também terá que esperar até amanhã para conhecer seu novo prefeito, já que foi uma das 30 cidades com mais de 200 mil eleitores onde nenhum dos candidatos obteve mais da metade dos votos no primeiro turno.

A Prefeitura de Belo Horizonte é disputada por dois candidatos de partidos da base do Governo: Márcio Lacerda (PSB), que tem 53% das intenções de voto, e Leonardo Quintão (PMDB), com 47%.

Apesar do apoio de uma inédita aliança entre PT e PSDB, Lacerda não conseguiu mais da metade dos votos no primeiro turno, como previam seus aliados.

O candidato do PSB tem como padrinho político o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, outro mencionado como possível candidato da oposição nas eleições presidenciais de 2010 e que pode se fortalecer com uma vitória de Lacerda.

Em Salvador e Porto Alegre, a eleição será disputada no segundo turno por candidatos de partidos governistas, mas nessas duas capitais o PT aparece em desvantagem.

Em Porto Alegre, que durante muitos anos foi um dos maiores redutos eleitorais do PT, o favorito é o atual prefeito, José Fogaça (PMDB), que derrotaria Maria do Rosário (PT).

Na capital baiana, o líder nas pesquisas é o atual prefeito, João Henrique Carneiro (PMDB), que venceria Walter Pinheiro (PT). EFE cm/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG