Oposição pede eleições imediatas no R.Unido por escândalo

Londres, 18 mai (EFE).- O líder do Partido Conservador do Reino Unido, David Cameron, pediu hoje a convocação imediata de eleições gerais com o argumento de que o sistema político está paralisado pelo escândalo das despesas parlamentares.

EFE |

Cameron, cujo partido lidera todas as pesquisas de intenções de voto, pediu aos britânicos que assinem um pedido para pedir ao primeiro-ministro, o trabalhista Gordon Brown, a dissolução do Parlamento e a antecipação do pleito, previsto para 2010.

"Não acho que o país queira esperar outro ano para julgar seus políticos e seu Parlamento", disse o chefe tory na apresentação da campanha de seu partido para as eleições locais e europeias do próximo dia 4 de junho.

Segundo o líder do principal partido de oposição, a confiança na classe política foi rompida "em pedaços" devido ao escândalo do abuso de fundos públicos por parte dos deputados, que veio à tona no último dia 8 pelo diário "The Daily Telegraph".

Os comentários de Cameron foram feitos enquanto o presidente da Câmara dos Comuns, Michael Martin, se negava a renunciar, apesar da crescente pressão de deputados que questionam sua gestão da crise parlamentar.

Em declaração extraordinária perante a Câmara Baixa do Parlamento britânico, Martin se limitou a pedir perdão pelos abusos dos deputados, mas se recusou a fixar uma data para a renúncia.

O premiê Gordon Brown, que tinha apoiado o presidente da Câmara em semanas anteriores, hoje se limitou a declarar que seu futuro é assunto do Parlamento e não do Governo.

O escândalo atingiu todos os partidos, mas especialmente o Trabalhista, que, segundo todas as pesquisas, terá resultado desastroso nas eleições de junho. EFE pa/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG