Diversos líderes da oposição venezuelana pediram, ao votar neste domingo, que os governantes venezuelanos se concentrem nos verdadeiros problemas do país independente do resultado do referendo sobre a reeleição presidencial sem limites.

"Espero que amanhã fique para trás este processo eleitoral e todos se dediquem a governar este país que tem tantos problemas", pediu o governador opositor do estado Miranda (que inclui parte de Caracas), Henrique Capriles.

"O país se constrói com nossa participação. Sempre fomos a favor de alcançar as mudanças com votos. Entendo que há muito cansanço, mas a melhor maneira de protestar, de nos expressarmos, é indo votar", acrescentou.

Já Antonio Ledezma, prefeito metropolitano de Caracas, denunciou no momento em que votou que os simpatizantes do governo façam propaganda durante o dia de votação.

Ledezma e Capriles ocupam os cargos desde o fim de 2008, quando derrotaram os candidatos do governo nas eleições regionais e municipais.

"É preciso votar e ganhar. Isto vai pelo melhor caminho, estamos encaminhados ao que a Venezuela sonha e o que a Venezuela quer", declarou, otimista, Manuel Rosales, prefeito opositor de Maracaibo, segunda maior cidade da Venezuela.

Os venezuelanos decidem neste domingo se aprovam uma emenda constitucional que permitiria ao presidente e os demais ocupantes de cargos majoritários a concorrer nas eleições sem um limite de mandatos.

A modificação permitiria ao presidente Hugo Chávez uma nova candidatura nas eleições de 2012, quando chega ao fim seu segundo mandato.

bl/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.