Oposição no Zimbábue aceita formar governo de união nacional

HARARE - O principal partido de oposição no Zimbábue, Movimento para a Mudança Democrática (MDC), aprovou nesta sexta-feira uma decisão de seus dirigentes máximos de se unir à governista União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF) em um governo de união nacional.

EFE |

O anúncio foi feito pelo líder do MDC, Morgan Tsvangirai, em entrevista coletiva na capital Harare, após uma reunião do Conselho Executivo Nacional do partido.

"Faremos parte deste governo, a Sadc (Comunidade para o Desenvolvimento da África Meridional) tomou essa decisão e estamos obrigados a segui-la", disse Tsvangirai.

Após uma cúpula extraordinária, segunda-feira em Pretória, a Sadc, mediadora nas negociações entre os partidos políticos zimbabuanos, decidiu que o MDC e a Zanu-PF devem formar o governo de união nacional até 13 de fevereiro, com Tsvangirai jurando o cargo de primeiro-ministro dois dias antes.

"Tivemos algumas vozes dissidentes, mas a maioria entendeu que Morgan (Tsvangirai) deve fazer parte do novo governo", disse o coordenador nacional do MDC, Eddie Cross.

Roy Bennett, tesoureiro do MDC, quem estava exilado na África do Sul, retornou hoje ao Zimbábue para participar da reunião do Conselho Executivo, "o que evidencia que as coisas estão mudando" no país, especificou o porta-voz do partido opositor.

O MDC ganhou as eleições legislativas em março de 2008 e mantém a maioria na Assembleia Nacional, que pretende utilizar para pressionar a Mugabe a implantar a democracia no Zimbábue.

Leia também:

Leia mais sobre cólera

    Leia tudo sobre: zimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG