Oposição malásia denuncia infiltração de agentes do Mossad na Polícia

Kuala Lumpur, 11 abr (EFE).- A oposição malásia pediu hoje ao Governo que averigue a suposta infiltração no corpo nacional de Polícia de membros do Mossad, os serviços de inteligência de Israel, país com o qual Malásia não tem relações diplomáticas.

EFE |

O Executivo malaio negou a acusação, mas "não é algo que possa ser descartado de forma tão taxativa sem estudar as acusações", segundo Lim Kit Siang, deputado do Partido de Ação Popular liderado pelo ex-vice-primeiro-ministro Anwar Ibrahim.

Ibrahim declarou esta semana perante o Parlamento que pelo menos dois agentes secretos do Mossad penetraram há dois anos no quartel- general da Polícia malásia, fazendo-se passar por trabalhadores de uma empresa de telecomunicações.

O político assegurou que desde então os agentes do Mossad têm acesso à base de dados do corpo.

A denúncia de Ibrahim "não tem nenhum fundamento", segundo o ministro do Interior malaio, Hishamudin Hussein, que deu ordens de recopilar provas para esclarecer o assunto.

A Malásia é uma nação de maioria muçulmana que apoia firmemente a causa palestina e não reconhece Israel, cujos cidadãos não podem obter nem sequer um visto de turista para visitar esse país.

Ibrahim também sustenta que o Barisan Nasional, a coalizão governante desde a independência em 1957, estendeu a mão a Israel sem informar à população, e alega que o slogan de união nacional "1Malaysia" é copiado do "One Israel" que utilizou durante sua campanha eleitoral em 1999 o ex-primeiro-ministro israelense Ehud Barak. EFE mal/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG