Oposição japonesa aprova moção de censura contra primeiro-ministro no Senado

Tóquio, 11 jun (EFE).- O Senado japonês aprovou hoje uma moção de censura não vinculativa apresentada pela oposição contra o primeiro-ministro Yasuo Fukuda, em protesto contra a atitude do Governo em diversos temas.

EFE |

A moção de censura, a primeira contra um primeiro-ministro aprovada no Senado desde 1947, foi introduzida esta manhã e aprovada durante a sessão desta tarde no Senado, controlado pelo principal partido da oposição do país, o Partido Democrático do Japão (PDJ).

Por sua parte, o governante Partido Liberal Democrático (PLD) anunciou que apresentará de maneira imediata uma moção de confiança na Câmara Baixa, na qual tem maioria.

"Entendo que queiram chamar a atenção do público de maneira política, mas não vejo que tipo de significado teria (a moção de censura), legalmente ou no Parlamento", disse hoje o ministro porta-voz japonês, Nobutaka Machimura.

"Nós continuaremos fazendo nosso trabalho de maneira calma e solene", acrescentou.

Segundo a Constituição japonesa, se a Câmara Baixa aprova uma resolução de desconfiança, o Governo deve renunciar, mas se é o Senado que aprova a moção de censura, esta não tem efeito vinculativo.

No entanto, em 1998, o chefe da Agência de Defesa Fukushiro Nukaga teve que renunciar depois que a Câmara Alta aprovou uma moção de censura contra ele por causa de um escândalo.

O PDJ, que lidera a moção de censura apoiado por dois pequenos partidos opositores, sustenta que a gestão de Fukuda é "insuficiente" em assuntos como previdência, e por causa de escândalos relacionados com o Ministério da Defesa. EFE icr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG