Jovem marroquina de 17 anos teria participado e feito 'brincadeiras eróticas' em festa de premiê italiano

A esquerda italiana pediu ao chefe do governo Silvio Berlusconi, 74 anos, explicação ante o Parlamento sobre um novo caso sexual envolvendo uma menor, no qual seu nome foi citado. 

"Queremos saber o que realmente aconteceu em Milão. Ele deve vir ao Parlamento e explicar se, como descreve a imprensa, houve pressão sobre a polícia para que ela liberasse Ruby, uma jovem estrangeira e menor presa por roubo, que teria participado de festas em Villa Arcore (a residência privada de Berlusconi perto de Milão)", disse Michele Ventura, vice-presidente do Partido Democrata (PD), principal da oposição.

Desde quinta-feira, a imprensa italiana vem destacando o caso da jovem marroquina, Ruby, que teria participado de festas ousadas. Presa pela polícia após uma acusação de roubo, ela teria contado aos policiais detalhes sobre sua participação nas festas em Arcore.

Em depoimento a juízes milaneses, a marroquina de 17 anos afirmou que em 2009 esteve várias vezes na residência do premiê em Arcore, juntamente com outras jovens para a ‘brincadeira’ do ‘bunga-bunga’. 

Segundo Ruby, o estilo de festa é africano e teria sido aprendido pelo premiê com o líder Muhammar Kadhafi, que gostava de fazê-lo em seu harém. No ‘bunga-bunga’ as moças tiram a roupa, dançam, se beijam e tomam banho para ‘divertir’ um grupo de convidados.

"Sinto muito por tudo o que aconteceu. Sinto muito, sobretudo porque eu envolvi pessoas que me ajudaram sem pedir nada em retorno", declarou Ruby à agência Ansa.

Relações sexuais

A imprensa italiana não cogita que a moça tenha tido relações sexuais com Silvio Berlusconi. Além disso, os advogados do premiê formalmente desmentiram essa possibilidade. 

A oposição, no entanto, aproveita o caso para aumentar a pressão contra o premiê, que enfrenta dificuldades frente a situação econômica do país e a crise do lixo em Nápoles.

 "Temos o direito de exigir que o chefe do governo possa garantir sobriedade e dignidade", declarou o líder do PD, Pier Luigi Bersani.

Divórcio

Silvio Berlusconi já se envolveu no passado em inúmeros escândalos sexuais que incentivaram sua esposa Veronica Lario a pedir o divórcio.

Em julho, Berlusconi se viu em meio a outro escândalo. Em uma festa privada do premiê, participaram seis dançarinas brasileiras, que fizeram uma apresentação da sensual "pole dance" (dança do poste).

Em 2009, Berlusconi enfrentou queda de popularidade e pressão para renunciar por causa de escândalos sexuais que incluíram acusações de que ele havia mantido relações com adolescentes e prostitutas de luxo. Em resposta às denúncias, em 22 de julho ele disse "não sou nenhum santo" e se comprometeu a cumprir seu mandato até o fim, em 2013.

*Com EFE, BBC, Agência Estado e Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.