Oposição iraniana denuncia restrições em acesso à internet

Teerã, 3 fev (EFE).- A oposição iraniana denunciou hoje que os serviços e o acesso à internet foram restringidos em várias regiões do país, inclusive na capital Teerã, dada a proximidade do 31º aniversário do triunfo da Revolução Islâmica.

EFE |

Para esse dia, manifestações foram convocadas tanto pela oposição reformista como pelo Governo.

Durante a última celebração de caráter nacional, em 27 de dezembro, dia da Ashura, pelo menos oito pessoas morreram em confrontos entre as forças de segurança, milícias pró-regime e grupos da oposição.

"Os serviços de internet no Irã sofrem interrupções desde os últimos dias (...) devido ao medo das autoridades iranianas de que haja protestos", explicou hoje o site "Jaras".

Administrada por opositores afins ao "movimento verde", a página eletrônica destaca que os serviços de e-mail de portais com o Yahoo! ficaram praticamente inacessíveis na terça-feira em amplas regiões de Teerã.

Em grandes cidades como "Mashhad e em outros centros urbanos das províncias de Khorasan Razavi, Khorasan Shomali e Khorasan Jonubi, a conexão começou a ser interrompida no domingo".

No Irã, a internet se tornou um dos principais campos de batalha entre governistas e opositores desde a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad em um pleito considerado fraudulento pelos derrotados.

No começo do mês, a Polícia já tinha dito que o uso de mensagens de texto telefônicas (MSF) e do e-mail para convocar mobilizações seria considerado um delito maior que a promoção de protestos.

Semanas depois, as autoridades destacaram que quem utilizar filtros para consultar os sites bloqueados também incorrem em crime.

EFE jm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG