Tbilisi, 10 abr (EFE).- A oposição na Geórgia anunciou hoje o começo de uma campanha pacífica de desobediência civil para forçar a renúncia do presidente do país, Mikhail Saakashvili.

"Faremos todo o possível para que este presidente, mentiroso e covarde, vá embora para sempre de nosso país", proclamou perante cerca de 20 mil pessoas reunidas no centro de Tbilisi a ex-presidente do Parlamento e atual líder da oposição, Ninó Burdzhanadze.

Uma aliança de 17 partidos opositores iniciou nesta quinta-feira uma campanha nacional de protestos para conseguir a saída de Saakashvili, acusado de autoritarismo, de ser reeleito com uma fraude e responsabilizado pela derrota na guerra contra a Rússia de agosto passado.

"Exigimos que Mikhail Saakashvili renuncie voluntariamente a seu cargo e mude o poder pela via constitucional, mediante a convocação de eleições presidenciais antecipadas", dizia a resolução aprovada no primeiro comício que reuniu na quinta-feira cerca de 130 mil pessoas.

Hoje, a oposição convocou a nação à desobediência depois que Saakashvili deixou claro que não pensa em renunciar, que completará seu segundo mandato, que expira em 2013, declarou que manifestar-se é um direito democrático e chamou seus oponentes ao diálogo.

A União Europeia pediu ao Governo e à oposição da Geórgia para atuar com responsabilidade para evitar a violência e assegurou que seus analistas supervisionarão atentamente a marcha dos protestos.

EFE mv/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.