Oposição georgiana faz protesto de 24 horas

Tbilisi, 13 abr (EFE).- A oposição georgiana decidiu hoje organizar um protesto de 24 horas em frente à residência presidencial para forçar a saída do chefe de Estado do país, Mikhail Saakashvili.

EFE |

"Permaneceremos diante da residência presidencial até que Saakashvili abandone o cargo", declarou o dirigente opositor Koba Davitashvili, líder do Partido Popular da Geórgia, durante um protesto em frente ao Parlamento do país.

Durante o comício, que reuniu quase 30 mil pessoas, discursaram os principais dirigentes opositores, como o ex-presidente do Parlamento georgiano Ninó Burdzhanadze e o ex-embaixador da Geórgia perante a ONU Irakli Alasania.

Outra oradora, Eka Beselia, afirmou que o presidente do Legislativo da Geórgia, David Bakradze, não descarta formar um Governo de coalizão, mas ressaltou que "o objetivo da oposição não é obter ministérios, mas sim conseguir a saída de Saakashvili".

A pedido de seus líderes, cerca de dez mil simpatizantes da oposição se dirigiram para a residência do presidente, vigiada por soldados das tropas especiais, onde montaram um acampamento.

A Prefeitura de Tbilisi, que em princípio tinha autorizado os protestos na capital, denunciou que a decisão dos opositores de montar piquetes dia e noite em frente à residência presidencial representa "uma violação da lei".

Os protestos em Tbilisi começaram na sexta-feira, depois de a oposição anunciar o começo de uma campanha pacífica de desobediência civil para conseguir a renúncia de Saakashvili.

O presidente georgiano declarou no mesmo dia que não pensa em renunciar e que completará seu segundo mandato, que termina em 2013, ao mesmo tempo em que convidou seus oponentes para o diálogo. EFE mv-si/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG