Oposição é favorita em eleição de novo premiê tailandês

Por Chalathip Thirasoonthrakul BANGCOC (Reuters) - O Parlamento tailandês deve escolher o novo primeiro-ministro do país na próxima segunda-feira, e o Partido Democrata, de oposição, é favorito para vencer e liderar uma coalizão, em meio a temores de recessão.

Reuters |

O secretário-geral dos democratas, Suthep Thaugusban, disse que a preocupação número um de um possível governo de seu partido seria a retomada da economia, dependente do turismo e de exportações e que sofreu um revés duplo com a crise global e os meses de tensão política interna na Tailândia.

"Nossa primeira prioridade é a economia. Precisamos recuperar a confiança dos investidores estrangeiros, atrai-los de volta para a Tailândia, torná-los confiantes no potencial do país", afirmou à Reuters em entrevista.

O ministro provisório das Finanças, Suchart Thada-Thamrongvech, disse que a economia deve encolher entre 0,5 e 1 por cento no primeiro trimestre de 2009 em relação ao mesmo período do ano anterior. No segundo trimestre, o crescimento seria nulo, colocando a economia à beira da recessão.

Ainda que Suchart -- membro do governo do Partido do Poder Popular (PPP) derrubado pela Justiça na semana passada -- preveja uma recuperação modesta no segundo semestre, boa parte do desempenho da economia dependerá da estabilidade do próximo governo e de sua capacidade de usar a política fiscal para estimular o crescimento.

Se o líder democrata Abhisit Vejjajiva for eleito primeiro-ministro, ele deve comandar uma maioria apertada à frente de uma coalizão com vários partidos, incluindo uma facção dissidente do PPP.

O país está profundamente dividido após três anos de crise política, e Vejjajiva não deve ter uma longa lua-de-mel.

Segundo Suthep, os democratas têm o apoio de 260 membros do Parlamento, composto por 480 congressistas. No entanto, esses números ficaram confusos após a dissolução do PPP e de dois outros partidos na semana passada e com a perda dos direitos políticos de seus líderes.

É possível até que a frágil aliança dos democratas se quebre antes da sessão parlamentar do dia 15 de dezembro, abrindo caminho para que os remanescentes do PPP, agora em um novo partido, tenham mais influência na formação de uma coalizão.

O Puea Thai, novo nome do PPP, afirmou que ainda tem apoio suficiente para liderar uma coalizão.

O Puea Thai é a denominação mais recente do partido que agrupa aliados de Thaksin Shinawatra, primeiro-ministro derrubado por um golpe em setembro de 2006 e que agora vive no exílio.

Ele tem estado no epicentro da crise política que a Tailândia vive há três anos, com as elites realistas e militares de Bangcoc em disputa contra ele e seus aliados, vencedores das eleições de dezembro de 2007 após 15 meses de governo apoiado pelo Exército.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG