Oposição do Zimbábue vai rejeitar resultados das eleições

HARARE (Reuters) - O Movimento pela Mudança Democrática (MDC), partido de oposição do Zimbábue, disse na sexta-feira que vai rejeitar os resultados das eleições presidenciais apresentados aos candidatos por autoridades eleitorais. Os dados oficiais mostram que o líder do MDC, Morgan Tsvangirai, teve 47,9 por cento dos votos, derrotando o presidente Robert Mugabe, que obteve 43,2 por cento, o que não é suficiente para evitar um segundo turno contra Mugabe, que comanda o Zimbábue desde 1980.

Reuters |

Os resultados ainda não foram anunciados oficialmente. A oposição insiste que Tsvangirai ganhou no primeiro turno.

'Parece que a Comissão Eleitoral do Zimbábue está determinada a anunciar seu resultado, mas ele certamente será rejeitado por nós. Será rejeitado porque não terminamos o processo', disse Chris Mbanga, representante de Tsvangirai.

'Há essa urgência em anunciar o resultado, mas não faremos parte disso', disse ele a repórteres durante o intervalo de uma reunião do processo de verificação do resultado das eleições, que começou na quinta-feira.

Perguntado sobre quanto tempo este processo duraria, Mbanga, disse: 'Pode levar dias, semanas, meses... Levamos 30 dias para chegar a este processo, então dizemos: 'Por que a pressa?'' As autoridades eleitorais apresentaram os resultados aos candidatos depois de um mês da realização das eleições, o que ocasionou derramamento de sangue no país. Os números batem com os que autoridades do governo passaram à Reuters no começo da semana. Por lei, a passagem de poder deve ocorrer 21 dias depois do resultado das eleições.

Tsvangirai levantou dúvidas quanto à sua participação em um segundo turno. Ele saiu do país logo após a votação, tentando manter a pressão internacional sobre Mugabe, de 84 anos. No entanto, ele sugeriu que pode participar do segundo turno, caso observadores internacionais liderados pela Organização das Nações Unidas (ONU) monitorem o processo. Da última vez, o principal grupo de observadores era de países vizinhos do Zimbábue.

(Reportagem de MacDonald Dzirutwe)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG