Oposição diz ter encontrado corpos de ativistas no Zimbábue

O partido de oposição do Zimbábue, Movimento por Mudança Democrática (MDC), afirmou nesta quinta-feira que os corpos de quatro de seus ativistas foram encontrados perto da capital, Harare. Segundo o partido, os quatro jovens foram seqüestrados e assassinados em um distrito ao sul de Harare.

BBC Brasil |

O MDC afirma que eles foram levados por militantes do partido do governo, o Zanu-PF. Os corpos foram encontrados a vários quilômetros do local do seqüestro.

De acordo com o correspondente da BBC em Johanesburgo, Peter Greste, o corpo da esposa do prefeito eleito de Harare, que é do MDC, também foi encontrado queimado em meio a arbustos.

O MDC afirma que mais de 70 integrantes do partido já foram mortos e centenas estão desaparecidos nos incidentes ocorridos durante a campanha presidencial no país.

Robert Mugabe, atual presidente, disputa no próximo dia 27 o segundo turno da eleição contra Morgan Tsvangirai, líder do MDC.

Eleição "impossível"
O chefe da organização regional que monitora o processo eleitoral no Zimbábue, o ministro do Exterior da Tanzânia, Bernard Membe, afirmou que não acredita que o segundo turno das eleições será livre e justo.

Membe disse à BBC que a Comunidade de Desenvolvimento Sul-Africana (SADC, na sigla em inglês) acredita que a crescente violência política e a prisão de ativistas de oposição podem fazer com que a realização da eleição seja "impossível".

"A primeira impressão que temos é que, se as eleições ocorressem hoje, nunca poderiam ser livres e justas", afirmou.

"As informações que recebemos ainda indicam que a violência é crescente por todo o Zimbábue", acrescentou Membe. "Pela primeira vez, temos refugiados internos no Zimbábue como resultado da violência perpetuada no país."
Membe afirmou que equipes de observadores internacionais presenciaram a execução a tiros de pessoas e acrescentou que políticos de oposição, incluindo o líder Tsvangirai, estão sendo intimidados.

"Temos a informação de que as prisões continuam", disse o ministro tanzaniano. "Lembre-se, no mês passado 45 agentes eleitorais foram detidos."
"Desta vez, o secretário-geral do MDC foi detido e, a cada vez que tenta fazer campanha, Tsvangirai é detido em delegacias", acrescentou Membe.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG