Oposição diz que Governo falhou em tentativa de manipular eleições

Harare, 26 abr (EFE).- A oposição zimbabuana afirmou hoje que o partido governista União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF) falhou em sua tentativa de manipular as recentes eleições parlamentares através da apuração parcial dos votos em 23 circunscrições, apoiada pelo regime do presidente do país, Robert Mugabe.

EFE |

O porta-voz do oposicionista Movimento para Mudança Democrática (MDC), Nelson Chamisa, afirmou à Agência Efe que "as tentativas do Zanu-PF para manipular as eleições falharam".

Chamisa rejeita a apuração incompleta dos votos das eleições gerais de 29 de março e os temores da oposição de que o resultado final dê a maioria parlamentar ao Zanu-PF, que tinha perdido antes da contagem parcial.

Em 29 de março, os eleitores votaram em 207 circunscrições eleitorais, e em outras três, o pleito foi suspenso pela morte de alguns dos candidatos.

Nessas 207 circunscrições, o Zanu-PF obteve 97 cadeiras na Câmara Baixa do Parlamento, e as duas facções do MDC, 109. Um deputado independente também foi eleito.

As autoridades eleitorais disseram hoje que já concluíram a apuração em 14 das 23 circunscrições nas quais a está sendo feita a recontagem, e os resultados originais foram confirmados.

Das nove cadeiras restantes, o Zanu-PF já garantiu três na primeira votação. Se as outras seis cadeiras fossem para o partido da situação e este também alcançasse os três postos parlamentares pendentes onde as eleições foram adiadas ainda poderia conseguir a maioria requerida, de 106 cadeiras.

Chamisa aproveitou para insistir na divulgação do resultado das eleições presidencial, até hoje não divulgado.

Segundo o MDC, seu candidato presidencial, Morgan Tsvangirai, obteve 50,3% dos votos, e Mugabe, 43,8%.

A apuração parcial de votos para finalmente definir a Câmara Baixa do Parlamento indica que, se a tendência for mantida, o Zanu-PF perderia a maioria.

No Senado, o partido governista e a oposição dividem o mesmo número de assentos. EFE sk/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG