Oposição desocupa a sede do poder em Bagcoc

Os opositores tailandeses deixaram nesta segunda-feira a sede do governo depois de mais de três meses de ocupação, afirmando que querem reforçar o bloqueio dos aeroportos de Bangcoc, o que já impediu cerca de 350.000 passageiros, em sua maioria turistas, de embarcar em quase uma semana de protestos.

AFP |

Os manifestantes declararam que estão levantando acampamento em razão dos recentes ataques com granadas contra o complexo onde ficam os escritórios do primeiro-ministro que deixaram dois mortos e dezenas de feridos em suas filas.

"Vamos para os aeroportos de Don Mueang e Suvarnabhumi", anunciou à AFP uma porta-voz da Aliança do povo para a democracia (PAD), Anchalee Paireerak.

A PAD reúne opositores ao governo do primeiro-ministro Somchai Wongsawat, entrincheirado em seu reduto eleitoral de Chiang Mai (700 km ao norte de Bagcoc) devido a estes problemas.

"Eu gostaria de ficar. Eu conheço muita gente e já estava acostumado com este lugar onde eu dormia. Vou sentir falta daqui", lamentou Wan Ounkonc, militante de 63 anos.

O acampamento montado em 26 de agosto pelos opositores forçou Somchai a instalar em setembro escritórios temporários no aeroporto Don Mueang (vôos nacionais).

Os manifestantes antigoverno se distinguem geralmente por usarem camisetas de cor amarela, em sinal de obediência ao rei.

A PAD começou terça-feira passada a ocupar os aeroportos civis de Bagcoc, o que havia provocado seu fechamento e constituído uma escalada maior na crise tailandesa que começou há meses.

Os manifestantes também autorizaram nesta segunda-feira a decolagem de 37 aviões vazios do aeroporto internacional de Bangcoc, anunciou a porta-voz da empresa Aeroportos da Tailândia (AOT), que administra o local.

No total, 88 aeronaves estavam bloqueadas no aeroporto de Suvarnabhumi. Trinta e sete decolaram na noite de domingo, após a mediação da AOT que foi aceita pelos opositores.

"As companhias aéreas internacionais devem entrar em contato conosco para recuperar os aviões bloqueados em Suvarnabhumi", disse a porta-voz.

Mais de 100.000 passageiros estão bloqueados com a situação e outros aeroportos do país estão sendo utilizados para retirar as pessoas desta situação aos poucos.

Enquanto o PAD anunciava seu recuo estratégico, aproximadamente mil partidários dogoverno ficaram mobilizados em frente à sede da administração metropolitana de Bagcoc. Na véspera, eles eram 15.000, vestidos de vermelho, a realizar um encontro no local, segundo a polícia.

O "campo dos vermelhos" pode decidir manifestar terça-feira em frente à Corte constitucional que deve concluir um dossiê que pode desembocar na dissolução do partido no poder e de dois partidos alidados por fraude eleitoral.

A polícia pediu ajuda ao exército para prevenir toda obstrução da audiência de terça-feira, declarou à AFP o porta-voz do exército, o coronel Sunsern Kaewkumnerd.

Cético sobre um veredicto negativo da corte, os partidários do governo já lançaram uma advertência contra este eventual "golpe de Estado disfarçado" que pode tirar Somchai do poder.

Somchai Wongsawat é cunhado do ex-homem forte da Tailândia Thaksin Shinawatra, deposto pelo exército em setembro de 2006 após acusações de corrupção.

A Tailândia enfrenta há meses uma cirse política que ganhou teor violento nas últimas semanas após uma série de enfrentamentos que deixaram no total seis mortos e várias centenas de feridos desde o fim de agosto.

ask/fp/ras/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG