Oposição de Mianmar denuncia detenção de ativistas contrários a plebiscito

Bangcoc, 15 abr (EFE) - O principal partido da oposição democrática de Mianmar (antiga Birmânia), a Liga Nacional pela Democracia (LND), denunciou hoje a detenção de 20 ativistas contrários à constituição que a Junta Militar submeterá a plebiscito em 10 de maio.

EFE |

O porta-voz da LND, Nyan Win, disse que as detenções ocorreram durante uma manifestação pacífica na cidade litorânea de Sittwe (oeste).

Nyan Win indicou que "se tornaram mais freqüentes as detenções de membros da LND e as ações de intimidação contra os que se opõem à minuta constitucional", segundo fontes da dissidência em Bangcoc.

No domingo, outro protesto similar de pessoas que usavam camisetas com um "NÃO" escrito foi dispersado em Yangun sem detenções.

As autoridades de Mianmar detêm, em geral, todos aqueles que se opõem a seu projeto constitucional e utilizam todos os veículos de comunicação do país para dizer diariamente que a obrigação de todo cidadão é votar a favor da nova Constituição.

Na semana passada, o regime militar acusou "certas embaixadas estrangeiras de interferir nos assuntos internos de Mianmar e de violar a Convenção de Viena e as leis internacionais" por, entre outras coisas, os muitos contatos mantidos com a LND, segundo o jornal "A Nova Luz de Myanmar".

A ONU reiterou à Junta Militar na quinta-feira passada que o plebiscito constitucional deve ser "livre e justo".

Os principais grupos da oposição democrática e formações étnicas rejeitaram a Carta Magna proposta porque, em sua opinião, foi elaborada para perpetuar o regime militar no poder.

O texto constitucional concede ao estamento militar 25% da capacidade do Parlamento bicameral, quota suficiente para derrubar emendas constitucionais.

A Junta Militar, que tem a Nobel da Paz e chefe da LND Aung San Suu Kyi sob prisão domiciliar desde 2003, prometeu realizar eleições parlamentares em 2010 se sua constituição for aprovada.

Mianmar é governada por uma ditadura militar desde 1962. EFE fmg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG