Oposição boliviana relaciona grupo desarticulado com narcotráfico

La Paz, 17 abr (EFE).- A oposição boliviana relacionou hoje o grupo terrorista desarticulado na cidade de Santa Cruz com o narcotráfico e acusou o Governo do presidente da Bolívia, Evo Morales, de tentar politizar o assunto e de contaminar a investigação.

EFE |

O presidente do Senado, o opositor Óscar Ortiz, disse hoje à "Red Uno" que existem "muitas dúvidas" em relação a este suposto grupo terrorista, "quando o Governo tenta politizar e aproveitar o que talvez pode ser um fato de delinquência associado ao narcotráfico para gerar uma controvérsia internacional".

A Polícia boliviana desarticulou na quinta-feira, em uma operação policial em Santa Cruz, um grupo internacional formado por um romeno, um húngaro, um irlandês e dois bolivianos, que, segundo o Governo, preparava um plano para assassinar Morales e outras autoridades.

O suposto plano foi descoberto após uma operação na cidade de Santa Cruz, no qual morreram três "mercenários", como foram denominados pelo Governo, e houve o confisco de um grande arsenal integrado por fuzis, uma metralhadora e explosivos.

"Acho que a tentativa grosseira do presidente Evo Morales de simplesmente utilizar este fato contamina a investigação realizada e novamente nos leva a um cenário de polarização no país", afirmou.

Para Ortiz, estes fatos de "violência de criminosos associados ao narcotráfico" indicam "o descontrole no qual está entrando o país" a respeito do tráfico de drogas, e reivindicou ao Executivo que assuma com responsabilidade a luta contra esse problema.

Neste sentido, o presidente do Senado disse que a Polícia boliviana deveria pedir ajuda de países com experiência, como Brasil, Espanha, México e Colômbia, para determinar a importância destas detenções. EFE lav/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG