Brasília, 11 mar (EFE).- A oposição impediu a nomeação do novo embaixador brasileiro na Venezuela em meio a uma áspera discussão, na qual alguns parlamentares puseram em dúvida o real interesse do presidente Hugo Chávez pela democracia.

O debate aconteceu na Comissão de Relações Exteriores do Senado, que devia votar a nomeação do diplomata José Antonio Marcondes de Carvalho como novo embaixador em Caracas.

O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), presidente da comissão, decidiu suspender a votação quando o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) propôs uma moção citando o diplomata.

Segundo Ribeiro, a comissão deve conhecer a opinião de Marcondes de Carvalho sobre a realidade política venezuelana antes de votar.

Embora tenha elogiado o diplomata, ele disse que o Brasil deve manter uma "posição firme e crítica" perante o Governo de Chávez, que "mais de uma vez teve posições hostis" em relação ao Congresso brasileiro, em alusão a polêmicas surgidas em torno da adesão da Venezuela ao Mercosul.

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) respaldou a moção e declarou que o Congresso não pode permanecer calado perante o que qualificou de "cerceamento das liberdades" na Venezuela.

A votação ficou para uma próxima reunião, possivelmente com a presença do diplomata, proposto pelo Governo para substituir o embaixador Antonio José Simões em Caracas. EFE ed/pb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.