Oposição anuncia candidatos para as eleições legislativas de setembro

Caracas, 24 abr (EFE).- A oposição venezuelana anunciou hoje seus candidatos, escolhidos por consenso, para as eleições parlamentares do dia 26 de setembro, entre os que se destacam líderes no exílio como Manuel Rosales e alguns dos chamados presos políticos que cumprem penas na Venezuela.

EFE |

A Mesa da Unidade Democrática (MUD), em torno da qual se concentrou a oposição ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, e que agrupa 12 partidos nacionais e 40 regionais, escolheu pelo "método de acordos unitários" 87% de seus representantes (143 candidatos) para o pleito legislativo.

Os outros 13% (22 candidatos) serão escolhidos amanhã em primárias realizadas em oito circunscrições das 23 regiões da Venezuela em um processo organizado pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e ao que estão convocados os eleitores inscritos no censo eleitoral vigente.

Entre os candidatos destaca-se o ex-governador de Zulia e ex-prefeito de Maracaibo Manuel Rosales, asilado no Peru desde 2009, que competirá pelo circuito seis dessa capital regional.

Rosales é julgado na Venezuela por suposto enriquecimento ilícito entre 2002-2004, quando exercia seu primeiro mandato como governador de Zulia.

O líder opositor negou essa acusação e se declarou perseguido político do Governo de Hugo Chávez, ao que denúncia como autoritário e antidemocrático.

Também aparecem como candidatos os chamados "presos políticos", entre eles o ex-secretário de Segurança Cidadã de Caracas, Ivan Simonovis, e os ex-chefes da Polícia Metropolitana (PM) de Caracas, Lázaro Forero e Henry Vivas.

Os três cumprem penas de 30 anos de prisão após terem sido considerados culpados da morte de dois dos 19 pessoas assassinados durante os fatos violentos que precederam o golpe de Estado contra Chávez em abril de 2002.

Os venezuelanos vão às urnas no dia 26 de setembro para renovar a Assembleia Nacional (AN), de 167 membros, nas mãos do Governo devido a decisão da oposição de retirar-se da disputa na última hora em 2005 alegando supostas irregularidades.

Nessas eleições serão escolhidos 165 deputados, dois a menos que na atual legislatura, devido a mudanças na demografia nacional.

O pleito parlamentar é crucial tanto para o Governo como para a oposição, já que uma mudança significativa na correlação de forças na Câmara marcaria o pulso de um suposto avanço ou freio do processo de mudanças que Chávez lidera há 11 anos.

O Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), de Chávez, escolherá seus candidatos para em primárias no dia 2 de maio. EFE gf/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG