Oposição acaba com hegemonia comunista de 88 anos na Mongólia

Pequim, 25 mai (EFE).- O candidato do opositor Partido Democrático (PD), Tsakhiagiin Elbegdorj, venceu as eleições presidenciais na Mongólia com 51% dos votos e acabou com uma hegemonia comunista que já durava mais de oito décadas no país.

EFE |

Elbegdorj superou o atual presidente, Nambariin Enkhbayar, do Partido Revolucionário Mongol (MAKN), que conseguiu 47% de aprovação.

Com o resultado, Elbegdorj põe fim a 88 anos de hegemonia do MAKN, partido comunista governante durante o período soviético, entre 1921 e 1996, e posteriormente eleito em 2000, 2004 e 2006 - nesta última ocasião em coalizão com outras legendas.

O resultado corresponde à votação realizada no domingo, cujo primeiro número nacional foi publicado hoje pelo Comitê Eleitoral Geral.

Tanto o vencedor, Elbegdorj, como o presidente em fim de mandato, Enkhbayar, reconheceram, respectivamente, vitória e derrota antes de o comitê publicar hoje os resultados, a fim de evitar protestos violentos.

A Mongólia tem apenas três milhões de habitantes, dos quais um terço vive abaixo da linha internacional da pobreza. O país ocupa o posto 114 de 177 no último relatório de desenvolvimento humano da ONU, apesar de sua riqueza em minerais.

Durante 70 anos, a Mongólia viveu à sombra da União Soviética como uma de suas repúblicas, apesar de manter a independência de fato e ter o MAKN como único partido. EFE mz/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG