Operários chineses lincham até a morte executivo que ia demitir 30 mil pessoas

PEQUIM - A venda de uma siderúrgica chinesa foi cancelada depois que um executivo foi espancado e morto pelos trabalhadores aos quais acabara de anunciar uma drástica medida de demissões, informaram nesta segunda-feira os jornais locais.

AFP |

Os funcionários da Tonghua Iron and Steel, com sede na província de Jilin (nordeste), espancaram até a morte na sexta-feira passada um dos diretores da empresa, Chen Guojun, que anunciou a demissão de até 30 mil funcionários, segundo o jornal China Daily.

Cerca de 3 mil operários interromperam a produção e cercaram Chen, recém-nomeado ao cargo, depois do anúncio da compra de sua unidade pelo grupo privado Jianlong.

"Chen decepcionou e provocou os operários aos anunciar que a maioria ficaria desempregada em três dias", indicou o China Daily, citando um policial local.

Depois de espancar o executivo, os empregados ainda enfrentaram a polícia e impediram a ambulância de ter acesso ao ferido. Chen morreu horas depois de ser levado para o hospital.

Um porta-voz do governo provincial de Jilin, contactado pela AFP, confirmou a morte do executivo, mas não quis dar maiores detalhes, afirmando apenas que a polícia abriu uma investigação sobre o assassinato.

Leia mais sobre desemprego

    Leia tudo sobre: chinadesempregolinchado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG